COMO INTERPRETAR METAR (PARTE 5)

Ir em baixo

COMO INTERPRETAR METAR (PARTE 5)

Mensagem por RenatoPiloto em Seg Jul 02, 2018 11:20 pm

Tempo presente
O tempo presente é o fenômeno (ou são os fenômenos) meteorológicos observados.
A codificação pode ser feita por duas ou quatro letras juntas, dependendo da situação.

Com duas letras, temos apenas um fenômeno.
Com quatro letras juntas, temos um fenômeno com qualificador.

O qualificador tem subdivisões por intensidade ou proximidade, e também por descritor.
O fenômeno tem subdivisões por precipitação ou obscurecedor.

Não entendeu nada? Vamos aos exemplos:

METAR SBGL 131000Z 31015G27KT 4000 1800N +TSRA
Interpretação: Sinal de mais indica intensidade forte. Sem sinal, intensidade moderada. E o sinal de menos é intensidade fraca. TS é o qualificador e RA é o fenômeno. TS é o código de trovoada. RA é o código de chuva. A interpretação correta é chuva forte com trovoada.

A intensidade é sempre atribuída ao fenômeno, nunca ao qualificador.
Por isso, não lemos trovoada forte com chuva.
Lemos: chuva forte com trovoada.
Se não houvesse trovoada nesse momento, teríamos apenas +RA.

Porém, se não houvesse chuva, não poderíamos ter TS aparecendo ali, pois TS não é o fenômeno, mas apenas o qualificador.
Neste caso, poderia, por exemplo, ser indicada nas informações complementares, no final, como RETS, ou seja, trovoada recente.
avatar
RenatoPiloto
Instrutor

Mensagens : 18
Data de inscrição : 21/12/2017
Idade : 45
Localização : Brasil

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum