AEROBOTECO
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

COMO INTERPRETAR METAR (PARTE 5)

Ir em baixo

COMO INTERPRETAR METAR (PARTE 5) Empty COMO INTERPRETAR METAR (PARTE 5)

Mensagem por RenatoPiloto em Seg Jul 02, 2018 11:20 pm

Tempo presente
O tempo presente é o fenômeno (ou são os fenômenos) meteorológicos observados.
A codificação pode ser feita por duas ou quatro letras juntas, dependendo da situação.

Com duas letras, temos apenas um fenômeno.
Com quatro letras juntas, temos um fenômeno com qualificador.

O qualificador tem subdivisões por intensidade ou proximidade, e também por descritor.
O fenômeno tem subdivisões por precipitação ou obscurecedor.

Não entendeu nada? Vamos aos exemplos:

METAR SBGL 131000Z 31015G27KT 4000 1800N +TSRA
Interpretação: Sinal de mais indica intensidade forte. Sem sinal, intensidade moderada. E o sinal de menos é intensidade fraca. TS é o qualificador e RA é o fenômeno. TS é o código de trovoada. RA é o código de chuva. A interpretação correta é chuva forte com trovoada.

A intensidade é sempre atribuída ao fenômeno, nunca ao qualificador.
Por isso, não lemos trovoada forte com chuva.
Lemos: chuva forte com trovoada.
Se não houvesse trovoada nesse momento, teríamos apenas +RA.

Porém, se não houvesse chuva, não poderíamos ter TS aparecendo ali, pois TS não é o fenômeno, mas apenas o qualificador.
Neste caso, poderia, por exemplo, ser indicada nas informações complementares, no final, como RETS, ou seja, trovoada recente.
RenatoPiloto
RenatoPiloto
Instrutor

Mensagens : 18
Data de inscrição : 21/12/2017
Idade : 47
Localização : Brasil

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum